2017 05 « 1.2.3.4.5.6.7.8.9.10.11.12.13.14.15.16.17.18.19.20.21.22.23.24.25.26.27.28.29.30. »  2017 07

Publicação: 20 de Agosto de 2014   Edição № 15

kage

2014/08/20 (Wed)


Atividades do Sindicato Union Mie em Mie Ken
Seu salário aumentou?


Realizamos no dia 28 de junho de 2014 em frente a estação de Tsu, um enquete sobre o aumento salarial. A Union Mie resolveu fazer esta pesquisa para saber sobre o resultado do Plano Economico do Governo Abe, onde esta fortalecendo as grandes industrias para poder aumentar os salarios dos trabalhadores. Sabemos que as grandes empresas foram grandemente favorecidas com este Plano Economico, mas quanto aos consumidores que são na maioria trabalhadores assalariados, será que foram favorecidas pelos aumentos salariais? Como está a situação da vida cotidiana depois do aumento de imposto de consumo? Imposto de carro? Do imposto residencial? Aumento da gasolina, do seguro saúde,e outros tantos obrigações fiscais?
Para saber o que esta acontecendo com a maioria dos trabalhadores assalariados do Japão, resolvemos fazer este enquete, e para isso, pedimos a ajuda de todos os membros do sindicato para participar nesta atividade conjunta.
Primeiramente anunciamos sobre a promessa do governo de aumentar o salario dos trabalhadores, por isso pedimos a cooperação de todos que passavam em frente à estação de Tsu, para marcar com selo vermelho se não aumentou ou diminuiu o salário, selo amarelo para quem só aumentou um pouquinho e selo azul para quem aumentou o salario.
O resultado foi um choque para todos os membros que estavam acompanhando o enquete, pois do total de 58 pessoas que colaram os selos, 50 pessoas não tiveram aumento ou que o salario foi diminuído, apenas 5 pessoas teve um pouquinho de aumento e somente 3 tiveram aumento salarial.
A enquete surprendeu não somente ao sindicato, mas também chamou a atenção da mídia, onde foi grandemente veinculado pelos jornais locais e da província de Mie-ken.
Precisamos estar conciente do que está acontecendo com todos os trabalhadores assalariados, e refletir porque isto está ocorrendo. Pensando bem, tudo isto é uma consequencia da atitude passiva, que não luta pelos direitos de ter uma vida digna e saudável. E também não tem sentimento de companheirismo, de juntar as forças para lutar em prol de toda a classe trabalhadora. Temos que reagir gente! Desperta! Junte-se a nós e Lute!



PALESTRA E CONSULTAS JURIDICAS


Realizamos no dia 1 de Junho de 2014, Palestra e Consultas Juridicas com o objetivo de esclarecer sobre as leis que existem no Japão e sobre as ferramentas necessárias para executa-las. Antes de começarmos a exigir os direitos dos trabalhadores, primeiramente temos que ter uma clara visão de como as leis funcionam no Japão. Todos os estrangeiros pensam que basta ter as leis que as coisas vão funcionar em defesa de qualquer trabalhador, desde aquele que fica esperando pela boa vontade da empresa pagar os benefícios garantidos na lei até aqueles que reclamam, resmungam, brigam mas não conseguem nada porque não sabe como utilizar as ferramentas adequadas para utilizar as leis disponíveis de tal forma que as empresas são obrigadas a aceitar porque não tem outra opção se não respeitar os direitos dos trabalhadores.
Conseguiram entender onde está esta ferramenta? Ainda não? A maior ferramenta que voce tem em mãos é o sindicato. É uma organização conjunta, junte-se ao sindicato, não fique sozinho, chorando e lamentando por ser explorado todos os dias. Venha já!



PROCESSOS JUDICIAIS

A Union Mie apoia aos membros que sofreram acidentes de trabalho, levando o caso até ao processo judicial, dando suporte com advogados e tradutores para portugues e espanhol.

Caso1
Um membro Brasileiro que trabalhava na industria de chocolate S Seika, ao sair da sala de descanso, foi atropelado por uma empilhadeira. A falta de segurança por não ter faixa para caminhar e também por não ter um sensor na entrada e saida das empilhadeiras e mais o descuido do motorista ocasionou o acidente de trabalho. Ja contratamos 2 advogados e terminamos os ultimos ajustes e apartir de setembro já vai começar o julgamento contra a fabrica, a trasportadora e o motorista.
Caso2
Um membro Boliviano que trabalhava na fabrica K Tekkojo, utilizou um guindaste e levantou uma viga de 8mX50cmX120cm aproximadamente pesando 1 tonelada, caminhou 15 metros ate a área onde entregava as vigas, e ao abaixar a viga a altura de 50~60 cm do cavalete, um lado da viga escapou e caiu em cima dele, quebrando a perna em diferentes lugares. O sindicato cuidou deste caso até ele receber a aposentadoria, e hoje estamos preparando para procesar a fabrica pela falta de seguranca e negligencia por permitir manuzear guindastes sem uma qualificação professional.
Caso3
Um membro japones de 17 anos trabalhava na fabrica Seihyo, onde fazia blocos de gelos, e ele era encarregado de cortar em pedaços conforme o pedido, e ao tentar cortar o gelo, acabou cortando o dedo indicador da mão direita. O sindicato deu entrada como acidente de trabalho, e hoje ele esta trabalhando em outra fabrica, contudo, devido a sequela, movemos um processo contra a empresa por falta de segurança no serviço. Contratamos um advogado e vamos arcar com a despesa iniciais do tribunal e tambem durante o andamento do processo.
Caso4
A filial da Union Mie Sakura Byouin Branch, esta movendo um processo contra o Hospital por ter movido uma ação impedindo greve, dando informações falsas ao Juiz do TribunalRegional de Tsu, alegando que os pacientes do hospital estava correndo risco de vida. O Juiz ordenou ao sindicato para parar a greve. Quando estava preparando uma ação contra a decisão do Juíz, imediatamente o hospital retirou a queixa, mas mesmo assim, movemos uma ação judicial no Tribunal Regional em Tsu. Ganhamos a causa, porém o Hospital recorreu ao Tribunal Superior.
O direito de greve é garantido na Constituição do Japão Artigo 28. Por isso, ganhamos a causa, porem, estamos agora preparando uma ação contra o Tribunal Regional de Tsu, por acatar informações falsas e infringir a lei da greve, que é um direito dos trabalhadores garantidos na Constituição do Japão.
Caso5
Uma Boliviana que trabalhava na fabrica Y de produtos do mar como algas marinhas, peixes e mariscos, sofreu um acidente onde prendeu o dedo indicator entre a esteira e a maquina que conduzia as algas marinhas, perdendo assim a ponta do dedo indicador da mão direita. O problema foi que, ao finalizar o trabalho, todos começam a fazer limpeza das maquinas, mas todos faziam com a maquina ligada, e o chefe da seção tambem fazia a limpreza junto com os companheiros de trabalho. Estamos preparando o processo judicial pela falta segurança.



関連記事
スポンサーサイト